Sem categoria

 
Por Jane Lima
Olá! Precisamos falar sobre Psicomotricidade!
Mas antes de começarmos vamos fazer um teste:
O que vem à cabeça quando se fala em Psicomotricidade?
 Essa pergunta foi feita a alguns colegas e de um modo geral as respostas foram: corpo, movimento, desenvolvimento, percepção, autonomia, sentimentos, liberdade, expressão, equilíbrio, maturação.
Talvez um pouco de tudo isso que você pensou e que as pessoas entrevistas também responderam. Um dia uma amiga me falou uma frase que acho que define muito bem o que é a Psicomotricidade: “Para mim, é o resgate do humano”.
Mas vamos definir acerca do que nos diz a ABP –  Associação Brasileira de Psicomtricidade: Psicomotricidade, portanto, é um termo empregado para uma concepção de movimento organizado e integrado, em função das experiências vividas pelo sujeito cuja ação é resultante de sua individualidade, sua linguagem e sua socialização.”
Dentre muitas outras definições e maneiras de se trabalhar.  Meu objetivo aqui é mostrar um pouco sobre a PPA – Prática Psicomotora Aucouturier, que é um recorte da Psicomotricidade, visto que essa tem uma gama enorme de formas de se expressar.  O método foi criado pelo francês Bernard Aucouturier, o qual tive o privilégio de conhecer e beber da fonte em Outubro de 2016. Aqui no Brasil, O Método é difundido pelo Espaço Néctar que tem como formadora e diretora Silvia Carné, que também tenho orgulho de ser minha formadora.
Acho que estamos mais ou menos situados. Vamos conhecer esse tal Método. Bem, a PPA se baseia em princípios teóricos que são colocados em prática e que tem como intuito trabalhar a expressividade livre por meio da brincadeira.
Prática Aucouturier de forma bem clara elenca as principais linhas de força da PPA:
– Criar um ambiente tranquilizador necessário para o desenvolvimento de todas as potencialidades das crianças, das mais limitadas às mais evoluídas;
– Acolher a criança com todo o respeito, como uma pessoa em desenvolvimento, que dá o testemunho de uma experiência única;
– Compreender a criança pela via de sua expressividade motora;
– Desenvolver processos de asseguramentos, através do prazer, da ação, das brincadeiras e das representações;
– Viver o prazer de estar em relação empática com a criança.
Avaliando cuidadosamente cada um desses itens, mesmo não sendo muito familiar com os termos, creio que seja possível perceber que para resgatar o humano faz-se necessário seguir alguns princípios básicos de respeito para com o indivíduo.
Resultado de imagem para psicomotricidade
Quando uma criança se sente acolhida, ela se fortalece psicologicamente falando e o seu potencial vem à tona. Ela necessita acreditar, de fato que ela é capaz, mas não é raro ver pais, responsáveis, educadores que querem impor suas verdades não valorizando a capacidade, a força motriz que pode levar as crianças a   florescer, a despertar o seu melhor.
Colocando um zoom no tema da brincadeira, que é o carro chefe da PPA vamos compreender que é por meio da simbolização, entenda por símbolos aqui de forma bem simples a capacidade que a criança tem de transformar objetos em um elemento de sua brincadeira. Como por exemplo,  podemos citar uma caixa de papelão que passa a ser um potente carro de Fórmula 1 ou um veloz avião. E ser valorizada por sua construção é tudo o que a criança necessita para se fortalecer. E é válido lembrar que o contrário é devastador. Imagina como ela viverá mal diante de negação a valorização do seu árduo trabalho.
Resultado de imagem para brincar com caixa de papelão
Faz-se necessário lembrar que o fato da criança ser livre para construir e incentivado o seu progresso uma sessão em Psicomotricidade é fundamentada em um enquadre, no qual a criança tem a liberdade de criação, mas também tem os combinados que precisam ser cumpridos. Ao iniciar o atendimento é combinado com a criança tudo que ocorrerá durante o mesmo para que esta se sinta assegurada e tudo o que foi combinado tem que ser cumprido para que se estabeleça a confiança no Psicomotricista.

“As brincadeiras de prazer sensório-motor, como a chamamos, tem a função de atualizar fantasmas de ação e atenuar angustias pela via corporal”

 Bernard Aucouturier

 

Sobre a autora:

Jane Lima é Psicomotricista e Psicopedagoga. Atende no espaço do CORA às terças-feiras , e atendimento particular.

Share
7 de dezembro de 2016
psicomotricidade-avancado

Precisamos falar sobre Psicomotricidade!

  Por Jane Lima Olá! Precisamos falar sobre Psicomotricidade! Mas antes de começarmos vamos fazer um teste: O que vem à cabeça quando se fala em […]
4 de dezembro de 2016
image016

Alterações sensoriais e autismo: uma relação que anda de mãos dadas

01.12.2015 Por Cris Denik Uma questão muito recorrente no autismo é a chamada desorganização sensorial. Sabe aqueles movimentos diferentes que chamam tanta atenção, aquela crise repentina […]
19 de outubro de 2016
01ar-b1w2

Ajude o projeto CORA através da Vakinha

  Precisamos de material para utilização na sala de psicomotricidade. Precisamos de um equipamento espaldar (uma espécie de escada de madeira), e outros materiais necessários para […]
19 de outubro de 2016
movement1-e1399907067840

O que é Psicomotricidade?

  Psicomotricidade, portanto, é um termo empregado para uma concepção de movimento organizado e integrado, em função das experiências vividas pelo sujeito cuja ação é resultante […]